Image
Jazz In The Space Age - George Russell

Ouvir

Sobre

Eventos

Vídeos

Clipping

A 4 de Outubro de 1957, a União Soviética lança o Sputnik, o primeiro objecto posto pela humanidade em órbita à volta de um corpo celeste, inaugurando assim a era da corrida espacial. Inevitavelmente os compositores viram-se também imbuídos pelo novo espírito aventureiro que esta época parecia conter. Em 1960, George Russell e um grupo de estrelas do jazz gravam Jazz in the Space Age, um disco histórico já com algumas ideias do revolucionário tratado Lydian Chromatic Concept of Tonal Organization do compositor. Mas o que faz afinal esta música? De tudo. Gravita. Ora nos atrai, ora nos afasta. Permite-se deambular, olhando talvez este planeta próximo, cruzando-se com uma estrela, quem sabe desviando-se de um meteorito em alta velocidade. Russell escreveu a partitura de Jazz In the Space Age e deixou intencionalmente um espaço aberto para a improvisação livre – fixou os satélites nas órbitas e a imaginação dos seus corpos celestes fez o resto. Trouxe para a música o universo com todas as suas possibilidades e mistérios. Um Cosmos que de tão imenso nos podia parecer infinito, tal como a Música. 60 anos depois permitimo-nos gravitar nesta partitura, hoje com outros corpos celestes que olham para esta música a partir da sua poeira cósmica única.


Texto: Liliana Marinho


---


Jazz In The Space Age é também a mais recente edição da OJM e a primeira com o selo CARA.

Bandcamp (Download / Streaming)

Eventos

2021


Julho


3

|

Jazz na Real Vinícola | Praça Real Vínicola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:

“Jazz na Real Vinícola”: 2.ª edição


20 Junho - Viagem ao Jazz Português: Compositores

26 Junho (adiado de 12 de Junho) - Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz

27 Junho - Orquestra Jazz de Matosinhos & Mário Laginha

03 Julho - Jazz in the Space Age


Convidar alguém para vir a nossa casa, partilhar o palco, escolher este ou aquele repertório, nasce sobretudo de um lugar de fascínio pelas coisas. Por cá temos uma longa lista de projectos que vão acontecendo movidos por esta força irresistível e à qual não conseguimos (nem queremos) escapar. 

Abrimos as portas da Real Vinícola para o reencontro com o mundo tão singular do Manel Cruz, mas também para o primeiro concerto completamente dedicado à música do Mário Laginha, contando claro com a presença do próprio no palco como solista. Temos ainda vontade de revisitar o universo de compositores portugueses que se dedicam à escrita para big band, regressar às partituras que nos tocam (e que já fazem parte da nossa história), mas também trazer duas peças novas encomendadas especialmente para esta ocasião. Porque esta é uma roda que nunca queremos que pare de girar. E se falamos de objectos do nosso fascínio não nos podemos esquecer dos discos… Ah, os discos sempre. Uns que nos marcam eternamente, outros que atravessam gerações, e aqueles que abrem caminhos - os nossos e os do mundo. Um deles é o Jazz in the Space Age, do revolucionário George Russel - por isso revisitamos uma vez mais o histórico álbum, na boa companhia do João Paulo Esteves da Silva e do José Diogo Martins ao piano.

A 2.ª edição do Jazz na Real Vinícola está já aí, deixamos a porta de casa aberta. Vemo-nos por lá.


Os concertos realizam-se na zona exterior da Real Vinícola, sempre que as condições meteorológicas o permitam. O acesso é livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Os interessados podem levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, nos três dias que antecedem cada concerto, entre as 9h00 e as 12h30 e as 14h00 e as 17h30. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Há Jazz na Real Vinícola!

Image
2019


Novembro


30

|

Casa da Música (Sala Suggia), Porto

Jazz in the Space Age - Música de George Russell


George Russell desenvolveu a primeira teoria musical nascida das entranhas do jazz. Criou uma nova abordagem à criação que foi revolucionária e mudou o percurso de figuras como Miles Davis, John Coltrane e Ornette Coleman – o famoso disco Kind of Blue de Miles e todo o jazz modal não teria existido sem as ideias de Russell. As suas obras‑primas Jazz in the Space Age e All About Rosie foram dois grandes exemplos práticos desses conceitos que abriam um novo mundo de sonoridades para o jazz. Neste projecto, a Orquestra Jazz de Matosinhos celebra o legado de Russell e a sua música que continua a soar moderna, contando com a parceria de dois grandes solistas.


Direção musical: Pedro Guedes

Piano: João Paulo Esteves da Silva - Convidado

Piano: José Diogo Martins - Convidado

Saxofone tenor: Andy Sheppard - Convidado

Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Damien Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

Vídeos

Clipping

Image
Image
Image
Image

Fechar

PARTILHAR