-

Filtros

TODOS
OJM
CARA
PROGRAMA EDUCATIVO
27

Novembro

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Rui Reininho | Animais Errantes
Porto, Casa da Música

Os vislumbres do futuro parecem ressoar sempre de paisagens ancestrais. Nada é bem deste mundo tirando, talvez, todas as coisas mágicas; as percussões, as vozes, o Himalaia lá ao fundo, um tantan pós Tibet.

Um olho é uma nau imaginária que avista 20.000 éguas submarinas. Nela, a Orquestra Jazz de Matosinhos junta-se a Rui Reininho na reinvenção de um disco que saiu este ano. A orquestra entra neste corpo de composições nascidas dos improvisos de Reininho com Paulo Borges, onde a electricidade de Alexandre Soares se funde nos ventos que sopram: “há que sobrevoar o mar e navegar o ar”.

Image
4

Novembro

  ·  

21:30
Orquestra Jazz de Matosinhos & Tomás Marques | Viagem ao Jazz Português: Novos Talentos
Caldas Nice Jazz | CCC, Caldas da Rainha

Por que não trazer para o raro contexto de uma big band alguns dos mais dignos representantes das novas gerações do jazz?

Desde 2014 que a Orquestra Jazz de Matosinhos convida jovens talentos para tocarem como solistas com a Big Band. Em 2020 foi a vez de Tomás Marques, saxofonista de Estarreja, que tem chamado a atenção dos ouvidos atentos do jazz nacional. Da enorme biblioteca da OJM, escolheu um repertório de música sobretudo portuguesa, tocando temas de Carlos Bica, Bernardo Sassetti, Carlos Azevedo, etc., e ainda dois temas compostos por si e com arranjos de Andreia Santos e Paulo Perfeito. Pela primeira vez este ano, estes concertos partem estrada fora. 

“Viagem Pelo Jazz Português: Novos Talentos (Tomás Marques)" é a quarta e última fase de um ciclo itinerante de 4 concertos iniciado em 2018 com “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz I/II” - onde a Orquestra Jazz de Matosinhos apresentou a história das Big Bands em dois repertórios que vão do chamado “período de ouro” nos EUA até aos dias de hoje - e que, em 2020, se debruçou sobre criações originais em  “Viagem Pelo Jazz Português: Compositores”. 

VER PROJECTO
Image
15

Outubro

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & João Paulo Esteves da Silva | Bela Senão Sem
Festival O Jazz Tem Voz | Voz do Operário, Lisboa

São canções sem palavras as composições do pianista. Mas são canções que se valem da musicalidade da língua portuguesa, de uma enorme criatividade melódica e, mais tarde ou mais cedo, retomam os caminhos imprevistos da improvisação. João Paulo é um improvisador nato, e nesse papel pudemos ouvi-lo ao longo dos anos em concertos a solo intensos e emotivos. Tem também integrado inúmeras formações com as grandes figuras do jazz nacional e trabalha com igual à-vontade no âmbito da música de raiz popular. O projecto que junta o pianista de Lisboa à Orquestra Jazz de Matosinhos tem arranjos originais de Carlos Azevedo, Pedro Guedes e do próprio João Paulo sobre temas como “Certeza”, “Bela Senão Sem”, “Tristo" ou “Canção Açoriana”. No piano, João Paulo Esteves da Silva divide os momentos de criação instantânea com os talentosos solistas da OJM.


Após o lançamento de uma edição especial de Bela Senão Sem, que conta com três novas faixas improvisadas pelo pianista no CARA, a Orquestra Jazz de Matosinhos e João Paulo Esteves da Silva sobem novamente ao palco, desta vez no Festival “O Jazz tem Voz!” na Voz do Operário em Lisboa no dia 15 de Outubro.


VER PROJECTO
Image
25

Setembro

  ·  

22:00
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz - As Big Bands e o Jazz Moderno
Teatro Diogo Bernardes - Ponte de Lima

Dos primórdios do jazz até aos nossos dias, foram muitas as mudanças que se atravessaram no percurso das orquestras, levando-as a assumir as mais variadas personalidades: de animador insuperável das pistas de dança a veículo para os modernismos e experimentalismos.


A segunda fase de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz”, levada a palco pela Orquestra Jazz de Matosinhos, vai percorrer a época do jazz moderno e contemporâneo raramente abordada em retrospectivas do género com temas de George Russell a Thad Jones, passando por Eddie Sauter, Bob Brookmeyer, Charles Mingus e Maria Schneider. 

Depois de uma bem sucedida digressão que se debruçou sobre o chamado “período de ouro” das big bands nos EUA, que percorreu o país nos últimos anos, a segunda parte desta viagem volta à estrada dia 25 de Setembro de 2021 no Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima.


VER PROJECTO
2

Setembro

  ·  

18:00
Jazz In The Space Age
Jazz na Real Vinícola | Praça Real Vínicola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:

“Jazz na Real Vinícola”: 2.ª edição


Jazz in the Space Age 
com João Paulo Esteves da Silva e José Diogo Martins

(adiado de 3 de Julho)


Pulseiras disponíveis na Câmara Municipal de Matosinhos a partir de segunda-feira, 30 de Agosto, entre as 9h00 e as 12h30 e as 14h00 e as 17h30.



Apresentar um concerto com música que foi tocada apenas uma vez numa gravação de um disco dos anos 60, sem uma única partitura para analisar, repleta de momentos que parecem improvisados, pode parecer uma loucura? Não parece, é mesmo. Em 2019, a Orquestra tocou uma das poucas gravações com a música de Jazz in the Space Age, do revolucionário George Russell, compositor que influenciaria figuras como Miles Davis, John Coltrane e Ornette Coleman. A tarefa de transcrever os temas da obra-prima de Russell foi entregue a Telmo Marques que criou as bases para esta viagem cósmica. Mas a música no papel não acontece, ela só vive cá fora, por isso regressamos a esta viagem na companhia do João Paulo Esteves da Silva e do José Diogo Martins que vão estar ao piano a guiar-nos por esses universos fora.  


OUTROS CONCERTOS JAZZ NA REAL VINÍCOLA

20 Junho - Viagem ao Jazz Português: Compositores

26 Junho (adiado de 12 de Junho) - Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz

27 Junho - Orquestra Jazz de Matosinhos & Mário Laginha


Convidar alguém para vir a nossa casa, partilhar o palco, escolher este ou aquele repertório, nasce sobretudo de um lugar de fascínio pelas coisas. Por cá temos uma longa lista de projectos que vão acontecendo movidos por esta força irresistível e à qual não conseguimos (nem queremos) escapar. 

Abrimos as portas da Real Vinícola para o reencontro com o mundo tão singular do Manel Cruz, mas também para o primeiro concerto completamente dedicado à música do Mário Laginha, contando claro com a presença do próprio no palco como solista. Temos ainda vontade de revisitar o universo de compositores portugueses que se dedicam à escrita para big band, regressar às partituras que nos tocam (e que já fazem parte da nossa história), mas também trazer duas peças novas encomendadas especialmente para esta ocasião. Porque esta é uma roda que nunca queremos que pare de girar. E se falamos de objectos do nosso fascínio não nos podemos esquecer dos discos… Ah, os discos sempre. Uns que nos marcam eternamente, outros que atravessam gerações, e aqueles que abrem caminhos - os nossos e os do mundo. Um deles é o Jazz in the Space Age, do revolucionário George Russel - por isso revisitamos uma vez mais o histórico álbum, na boa companhia do João Paulo Esteves da Silva e do José Diogo Martins ao piano.

A 2.ª edição do Jazz na Real Vinícola está já aí, deixamos a porta de casa aberta. Vemo-nos por lá.


Os concertos realizam-se na zona exterior da Real Vinícola, sempre que as condições meteorológicas o permitam.

O acesso é livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS.

No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Há Jazz na Real Vinícola!

VER PROJECTO
Image
19

Julho

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Kurt Rosenwinkel
Festival das Artes | Quinta das Lágrimas - Anfiteatro Colina de Camões, Coimbra

Foi há 13 anos, mais precisamente no ano de 2008, que a ligação Kurt Rosenwinkel/ Orquestra de Jazz de Matosinhos viu pela primeira vez a luz do dia. Desde esse primeiro encontro, do qual resultou um concerto com a música do influente e virtuoso guitarrista, arranjada para big band por Pedro Guedes, Carlos Azevedo e Ohad Talmor, já muitas outras valsas foram dançadas por estes pares. O já icónico disco “Our Secret World” foi lançado em 2010 e muitos concertos daí resultaram até aos dias de hoje. O destaque vai obviamente para as três residências em Nova Iorque – no histórico Birdland Jazz Club, no Iridium Jazz Club e no prestigiante Blue Note – sem esquecer a actuação no Beatdown Jazz Festival em Boston. E já que aqui se fala em valsas, não podemos também deixar de referir a passagem deste projeto pela Wiener Konzerthaus, na capital austríaca. Ao longo de mais de uma década de colaboração o repertório amadureceu e cresceu de uma forma sólida com a entrada faseada de novos arranjos da música de Kurt Rosenwinkel. Agora, e na ressaca de uma pandemia devastadora para o meio musical, é hora de polir os instrumentos e as batutas e regressar ao palco com aquele que é “O” guitarrista desta geração e que como instrumentista e compositor, já ganhou certamente um lugar no Monte Olimpo dos deuses do jazz. Este reencontro acontecerá num lugar de lendas e amores proibidos, a secular Quinta das Lágrimas em Coimbra, no Festival das Artes, a 19 de Julho e ficará também para memória e espólio desta feliz história.

Direção musical: Pedro Guedes

Solista Convidado: Kurt Rosenwinkel (guitarra)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogerio Ribeiro, Javi Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Alvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Ritmica: Carlos Azevedo (piano), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
17

Julho

  ·  

19:15
Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz
Festival Entre Cidades | Audir - Auditório Exterior, Peso da Régua

“No momento em que escrevo este texto não faço a mínima ideia de qual vai ser o resultado desta parelha. Foi essa uma das coisas que me atraíram neste convite. Reduzir as canções ao essencial e oferecê-las a uma outra linguagem como sacrificando um animal a um qualquer deus da brincadeira. As músicas não valem nada sem quem as toca, são como peúgas vazias com olhos abotoados à espera de uma mão que as anime. Eu tenho umas dúzias delas que espero elásticas, e se o não forem, que rompam.” Manel Cruz


A Orquestra Jazz de Matosinhos volta a partilhar o palco com Manel Cruz no Festival Entre Cidades, dia 19 de Junho às 21h em Braga e 17 de Julho às 19h15 no Peso da Régua.

Numa viagem que percorre música dos seus vários projectos - Ornatos Violeta e Foge Foge Bandido, passando por Supernada até à sua recente carreira a solo - Manel Cruz surpreende ainda ao interpretar um standard de jazz com arranjo de Carlos Azevedo e letra da sua autoria. Os seus temas originais receberam também nova roupagem pela Orquestra Jazz de Matosinhos, num espectáculo que não deixa ninguém indiferente.

Resultado do trabalho que a big band tem vindo a desenvolver ao longo dos anos, sempre em busca de novos desafios criativos, esta parcerias vem no seguimento de outras partilhas com vozes oriundas dos mais variados universos musicais, desde o jazz (Dee Dee Bridgewater e Maria João) à música brasileira (Maria Rita), passando pela world music (Mayra Andrade) e pela pop (Sérgio Godinho e Manuela Azevedo).


Formação

Direcção: Pedro Guedes

Voz: Manel Cruz

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mario Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Javi Pereiro, Rogério Ribeiro, Hugo Silva

Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Ritmica: Carlos Azevedo (piano), André Fernandes (guitarra), José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)


VER PROJECTO
Image
27

Junho

  ·  

18:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Mário Laginha
Jazz na Real Vinícola | Real Vínicola, Matosinhos


Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:

“Jazz na Real Vinícola”: 2.ª edição



Domingo, 27 Junho, 18h / Praça Exterior Real Vinícola

Orquestra Jazz de Matosinhos & Mário Laginha


Se há uns que dizem que tudo acontece quando tem de acontecer, há também encontros que sabemos serem impossíveis de evitar. Podíamos estar a fazer uma referência a muitas coisas das nossas vidas, mas estamos a falar sobre o Mário Laginha e a Orquestra Jazz de Matosinhos.

Se é verdade que o Mário já tocou como solista com a OJM, esta é a primeira vez que partilha o palco na tripla condição de solista, compositor e arranjador. Um concerto que é a vontade de nos deixarmos levar pelos amores e paixões do pianista, materializadas na música criada pelo duo único com a Maria João e em temas inspirados numa figura que, tantos séculos volvidos, continua a suscitar o fascínio e admiração do compositor mas também de tantos outros músicos: Johann Sebastian Bach. Tudo isto arranjado para big band, claro. Por cá vos esperamos na companhia do Mário Laginha, domingo, 27 de Junho, às 18h na Real Vinícola.


OUTROS CONCERTOS CICLO "JAZZ NA REAL VINÍCOLA":

20 Junho - Viagem ao Jazz Português: Compositores

26 Junho (adiado de 12 Junho) - Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz

03 Julho - Jazz in the Space Age com João Paulo Esteves da Silva e José Diogo Martins


Convidar alguém para vir a nossa casa, partilhar o palco, escolher este ou aquele repertório, nasce sobretudo de um lugar de fascínio pelas coisas. Por cá temos uma longa lista de projectos que vão acontecendo movidos por esta força irresistível e à qual não conseguimos (nem queremos) escapar. 

Abrimos as portas da Real Vinícola para o reencontro com o mundo tão singular do Manel Cruz, mas também para o primeiro concerto completamente dedicado à música do Mário Laginha, contando claro com a presença do próprio no palco como solista. Temos ainda vontade de revisitar o universo de compositores portugueses que se dedicam à escrita para big band, regressar às partituras que nos tocam (e que já fazem parte da nossa história), mas também trazer duas peças novas encomendadas especialmente para esta ocasião. Porque esta é uma roda que nunca queremos que pare de girar. E se falamos de objectos do nosso fascínio não nos podemos esquecer dos discos… Ah, os discos sempre. Uns que nos marcam eternamente, outros que atravessam gerações, e aqueles que abrem caminhos - os nossos e os do mundo. Um deles é o Jazz in the Space Age, do revolucionário George Russel - por isso revisitamos uma vez mais o histórico álbum, na boa companhia do João Paulo Esteves da Silva e do José Diogo Martins ao piano.

A 2.ª edição do Jazz na Real Vinícola está já aí, deixamos a porta de casa aberta. Vemo-nos por lá.


Os concertos realizam-se na zona exterior da Real Vinícola, sempre que as condições meteorológicas o permitam. O acesso é livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Os interessados podem levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, nos três dias que antecedem cada concerto, entre as 9h00 e as 12h30 e as 14h00 e as 17h30. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Há Jazz na Real Vinícola!

Image
26

Junho

  ·  

22:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz
Jazz na Real Vinícola | Real Vínicola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:

“Jazz na Real Vinícola”: 2.ª edição


Sábado, 26 Junho (adiado de 12 Junho), 22h / Praça Exterior Real Vinícola

Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz

Nota: As pulseiras já entregues servem para a nova data. A lotação está esgotada.


Sinto que sou alguém que disponibiliza um repertório, que abre as portas de uma casa e diz: agora decorem isto da maneira que quiserem. E eu vou habitar na mesma casa”, dizia o Manel Cruz a propósito do primeiro concerto com a Orquestra Jazz de Matosinhos, estávamos ainda em 2018. Não é o Manel a cantar jazz ou a OJM a tocar rock ou a tentar reproduzir a linguagem do músico. É outra coisa. É um lugar para (re)encontrar os velhos amigos que fizemos com Ornatos Violeta, Foge Foge Bandido ou Supernada. Eles podem estar diferentes: mais gordos ou mais magros, mais altos ou mais baixos, mais soturnos ou leves. Mas continuam lá de braços bem abertos para nos receber. O Manel abriu as portas e a OJM já entrou. Ficamos à espera de visitas: 26 de Junho, às 22h, na Real Vinícola.




OUTROS CONCERTOS DO CICLO "JAZZ NA REAL VINÍCOLA":


20 JUNHO, 18H- Viagem ao Jazz Português: Compositores

27 JUNHO, 18H - Orquestra Jazz de Matosinhos & Mário Laginha

03 JULHO, 18H - Jazz in the Space Age


Convidar alguém para vir a nossa casa, partilhar o palco, escolher este ou aquele repertório, nasce sobretudo de um lugar de fascínio pelas coisas. Por cá temos uma longa lista de projectos que vão acontecendo movidos por esta força irresistível e à qual não conseguimos (nem queremos) escapar. 

Abrimos as portas da Real Vinícola para o reencontro com o mundo tão singular de Manel Cruz, mas também para o primeiro concerto completamente dedicado à música de Mário Laginha, contando claro com a presença do próprio no palco como solista. Temos ainda vontade de revisitar o universo de compositores portugueses que se dedicam à escrita para big band, regressar às partituras que nos tocam (e que já fazem parte da nossa história), mas também trazer duas peças novas encomendadas especialmente para esta ocasião. Porque esta é uma roda que nunca queremos que pare de girar. E se falamos de objectos do nosso fascínio não nos podemos esquecer dos discos… Ah, os discos sempre. Uns que nos marcam eternamente, outros que atravessam gerações, e aqueles que abrem caminhos - os nossos e os do mundo. Um deles é o Jazz in the Space Age, do revolucionário George Russel - por isso viajamos uma vez mais neste histórico álbum, na boa companhia do João Paulo Esteves da Silva e do José Diogo Martins ao piano.

A 2.ª edição do Jazz na Real Vinícola está já aí, deixamos a porta de casa aberta. Vemo-nos por lá.


Os concertos realizam-se na zona exterior da Real Vinícola, sempre que as condições meteorológicas o permitam. O acesso é livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Os interessados podem levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, nos três dias que antecedem cada concerto, entre as 9h00 e as 12h30 e as 14h00 e as 17h30. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


VER PROJECTO
Image
20

Junho

  ·  

18:00
Viagem ao Jazz Português: Compositores
Jazz na Real Vinícola | Real Vínicola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:

“Jazz na Real Vinícola”: 2.ª edição


Domingo, 20 de Junho, 18h / Tanoaria

Viagem ao Jazz Português: Compositores


Viagem: “o acto de transportar-se de um ponto a outro distante”, confidencia-nos o dicionário no meio de tantas outras definições. Pensar numa viagem pelo jazz português é um pouco isso: deslocarmo-nos livremente do universo único e específico de um compositor para o outro – sem estar à procura de semelhanças ou diferenças, sem cair na tentação de fechar numa caixa o jazz que por cá se faz. A teia que cuidadosamente vai entrelaçando as peças escolhidas deixa-nos em confronto com pensamentos que provavelmente já nos invadiram: como é frenético o ritmo da fusão homem/máquina; como terá sido o início do Universo; como é que alguma coisa, um objecto, não sendo musical pode sê-lo… Estas são apenas algumas das ideias que vaguearam na cabeça dos compositores, mas há outras. E claro, além das ideias há a música em si. São mais de 20 anos dedicados a convidar os compositores a imaginar e escrever partituras especificamente para big band. A lista já vai longa mas como não queremos deixar de estar à escuta do que vibra em cada um, convidamos o Afonso Pais e o AP a compôr para esta viagem.



PRÓXIMOS CONCERTOS DO CICLO "JAZZ NA REAL VINÍCOLA":


26 Junho (adiado de 12 Junho) - Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz

27 Junho - Orquestra Jazz de Matosinhos & Mário Laginha

03 Julho - Jazz in the Space Age



Convidar alguém para vir a nossa casa, partilhar o palco, escolher este ou aquele repertório, nasce sobretudo de um lugar de fascínio pelas coisas. Por cá temos uma longa lista de projectos que vão acontecendo movidos por esta força irresistível e à qual não conseguimos (nem queremos) escapar. 

Abrimos as portas da Real Vinícola para o reencontro com o mundo tão singular do Manel Cruz, mas também para o primeiro concerto completamente dedicado à música do Mário Laginha, contando claro com a presença do próprio no palco como solista. Temos ainda vontade de revisitar o universo de compositores portugueses que se dedicam à escrita para big band, regressar às partituras que nos tocam (e que já fazem parte da nossa história), mas também trazer duas peças novas encomendadas especialmente para esta ocasião. Porque esta é uma roda que nunca queremos que pare de girar. E se falamos de objectos do nosso fascínio não nos podemos esquecer dos discos… Ah, os discos sempre. Uns que nos marcam eternamente, outros que atravessam gerações, e aqueles que abrem caminhos - os nossos e os do mundo. Um deles é o Jazz in the Space Age, do revolucionário George Russel - por isso revisitamos uma vez mais o histórico álbum, na boa companhia do João Paulo Esteves da Silva e do José Diogo Martins ao piano.

A 2.ª edição do Jazz na Real Vinícola está já aí, deixamos a porta de casa aberta. Vemo-nos por lá.


Os concertos realizam-se na zona exterior da Real Vinícola, sempre que as condições meteorológicas o permitam. O acesso é livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Os interessados podem levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, nos três dias que antecedem cada concerto, entre as 9h00 e as 12h30 e as 14h00 e as 17h30. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Há Jazz na Real Vinícola!

Image
19

Junho

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Manel Cruz
Festival Entre Cidades | Museu D. Diogo Sousa, Braga

“No momento em que escrevo este texto não faço a mínima ideia de qual vai ser o resultado desta parelha. Foi essa uma das coisas que me atraíram neste convite. Reduzir as canções ao essencial e oferecê-las a uma outra linguagem como sacrificando um animal a um qualquer deus da brincadeira. As músicas não valem nada sem quem as toca, são como peúgas vazias com olhos abotoados à espera de uma mão que as anime. Eu tenho umas dúzias delas que espero elásticas, e se o não forem, que rompam.” Manel Cruz


A Orquestra Jazz de Matosinhos volta a partilhar o palco com Manel Cruz no Festival Entre Cidades, dia 19 de Junho às 21h em Braga e 17 de Julho às 19h15 no Peso da Régua.

Numa viagem que percorre música dos seus vários projectos - Ornatos Violeta e Foge Foge Bandido, passando por Supernada até à sua recente carreira a solo - Manel Cruz surpreende ainda ao interpretar um standard de jazz com arranjo de Carlos Azevedo e letra da sua autoria. Os seus temas originais receberam também nova roupagem pela Orquestra Jazz de Matosinhos, num espectáculo que não deixa ninguém indiferente.

Resultado do trabalho que a big band tem vindo a desenvolver ao longo dos anos, sempre em busca de novos desafios criativos, esta parcerias vem no seguimento de outras partilhas com vozes oriundas dos mais variados universos musicais, desde o jazz (Dee Dee Bridgewater e Maria João) à música brasileira (Maria Rita), passando pela world music (Mayra Andrade) e pela pop (Sérgio Godinho e Manuela Azevedo).


Formação

Direcção: Pedro Guedes

Voz: Manel Cruz

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mario Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Javi Pereiro, Rogério Ribeiro, Hugo Silva

Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Ritmica: Carlos Azevedo (piano), André Fernandes (guitarra), José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)


VER PROJECTO
Image
5

Junho

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos: Ornette, What Is This?
Casa da Música (Sala Suggia), Porto

Sem a música de Ornette Coleman o jazz tinha sido outra história. A partir do momento em que lançou os seus álbuns revolucionários The Shape of Jazz to Come e Free Jazz, em 1959 e 60, um mundo novo de possibilidades se abriu. A extraordinária imaginação melódica e rítmica deste saxofonista pedia uma liberdade que precisava de explorar outros caminhos, e a verdade é que a sua musicalidade assume toda a negritude que o jazz transporta desde as raízes. A Orquestra Jazz de Matosinhos encontra-se com a música deste grande mestre do jazz e propõe um conjunto de novos arranjos para temas que são uma porta aberta para a intensa expressão musical dos solistas. Como convidados conta com dois saxofonistas de excepção.

Direcção musical: Pedro Guedes

Convidados: Perico Sambeat e Ricardo Toscano (Saxofone alto)

Música: Ornette Coleman

Arranjos: Carlos Azevedo, Telmo Marques, Ohad Talmor e Guillermo Klein

Madeiras: José Luís Rego, João Guimarães, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Pedro Jerónimo

Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria), André Fernandes (guitarra)

Image
29

Maio

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Òscar Latorre
Novos Talentos do Jazz | Teatro Municipal Constantino Nery, Matosinhos

Ciclo Novos Talentos do Jazz

Orquestra Jazz de Matosinhos convida o trompetista espanhol Òscar Latorre


Seis meses depois do último concerto do Ciclo Novos Talentos do Jazz, a Orquestra Jazz de Matosinhos convida uma promessa do Jazz Espanhol para partilhar o palco. Dirigida por Carlos Azevedo, a OJM terá como solista convidado, dia 29 de Maio, no Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery, o trompetista Òscar Latorre que se estreou em nome próprio em 2018 com "Textures", depois de vários projectos como músico convidado. Seguiu-se "A Pathway to Become", em 2020, gravado em Basileia, na Suíça, para onde se mudou para frequentar o mestrado em Composição no JazzCampus, com professores como Mark Turner, Guillermo Klein e Ambrose Akinmusire.


Com 26 anos, o trompetista catalão vai partilhar dois temas originais arranjados por Javier Pereiro e João Pedro Brandão - "Rine's flow" e "Delusion" - mas também temas de nomes marcantes de várias gerações do jazz como Wayne Shorter, Mel Lewis, Fred Hersch, Thad Jones e Billy Eckstine.


Recorde-se que o Ciclo Novos Talentos do Jazz se realiza desde 2014, duas vezes por ano, com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos. Esta é a 13.ª edição deste ciclo que, desde 2019, apresenta também novos talentos do jazz espanhol.

Formação

Direcção: Carlos Azevedo

Trompete: Òscar Latorre (Solista convidado)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, Hugo Ciríaco, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Javi Pereiro, Rogério Ribeiro, Pedro Jerónimo

Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Paulo Perfeito, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Hugo Raro (piano), Filipe Louro (contrabaixo), João Cunha (bateria)

VER PROJECTO
Image
15

Maio

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Manuela Azevedo
Festival Entre Cidades | Real Vinícola, Matosinhos

A Orquestra Jazz de Matosinhos volta a partilhar o palco com Manuela Azevedo, desta vez no Festival Entre Cidades, dia 15 de Maio, às 21h, no edifício da Tanoaria na Real Vinícola em Matosinhos. De Tom Waits a Beatles, Elvis Costello, Chico Buarque, Serge Gainsbourg e Queens Of The Stone Age, a vocalista dos Clã mostra versatilidade e garra num espectáculo cheio de energia que percorre alguns dos seus temas preferidos com arranjos de Carlos Azevedo, Pedro Guedes, Telmo Marques e José Pedro Coelho.

Resultado do trabalho que a big band tem vindo a desenvolver ao longo dos anos, sempre em busca de novos desafios criativos, esta parceria vem no seguimento de outras partilhas com vozes oriundas dos mais variados universos musicais, desde o jazz (Dee Dee Bridgewater e Maria João) à música brasileira (Maria Rita), passando pela world music (Mayra Andrade) e pela pop (Sérgio Godinho e Manel Cruz).


Repertório (arr. Pedro Guedes)

Melancholy Baby, Ernie Burnett/George A. Norton - arr. Telmo Marques

Who do You Think You Are, Elvis Costello - arr. Carlos Azevedo

A Paz não te cai bem, Clã

I am the Walrus, Beatles - arr. Carlos Azevedo

Broken Bicycles/Junk, Tom Waits/Paul McCartney - arr. Telmo Marques

Chez Les Yé Yé, Serge Gainsbourg - arr. Carlos Azevedo

Keep Your Eyes Peeled, Queens of the Stone Age

Etelvina, Sérgio Godinho

Poses, Rufus Wainwright

Dançar na Corda Bamba, Clã - arr. José Pedro Coelho

Ela é Dançarina, Chico Buarque

Tight Rope, Janelle Monae


Formação

Direcção: Pedro Guedes

Voz: Manuela Azevedo

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mario Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Javi Pereiro, Rogério Ribeiro, Hugo Silva

Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Ritmica: Carlos Azevedo (piano), Miguel Ferreira (teclado), André Fernandes (guitarra), José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria), António Serginho (Percussão)


VER PROJECTO
Image
3

Maio

  ·  

18:00
Orquestra Jazz de Matosinhos
Real Vinícola, Matosinhos

Regresso dos concertos ao ar livre: Orquestra Jazz de Matosinhos desconfina e oferece concerto na Real Vinícola

Entrada Livre (Lotação Limitada)


À semelhança do ano passado, a Orquestra Jazz de Matosinhos volta a subir ao palco no dia em que o plano de desconfinamento permite o regresso dos concertos ao ar livre, 3 de Maio. Às 18h, na Real Vinícola, o espectáculo da OJM é de entrada livre – limitada à lotação do espaço, seguindo as orientações da Direcção Geral de Saúde – e os bilhetes podem ser levantados na Câmara Municipal de Matosinhos esta quinta e sexta-feira.


Naquele que será o primeiro espectáculo em 2021, após um 2020 bastante atípico e uns longos meses de confinamento, a OJM vai tocar temas como "American Express", "Make me smile", "Hang Gliding", "Choro Dançado", "Don’t Get Sassy", "Groove Merchant", Skylark" e "Child is Born".

“É tempo de voltar, estamos parados há demasiado tempo. A vida dos músicos é em palco, a tocar e a comunicar com o público. Tal como todos os portugueses, também nós queremos recuperar alguma normalidade, reconhecendo e respeitando os cuidados que devemos ter”, afirma Pedro Guedes. O director da OJM recorda e serve-se da experiência adquirida nos concertos realizados em 2020, durante a pandemia: “No ano passado fomos dos primeiros a voltar aos palcos. Cumprimos todas as regras e conseguimos oferecer cinco concertos com toda a segurança. As regras para o regresso da actividade cultural são do conhecimento de todos, portanto deixem-nos voltar a tocar e a ser ouvidos. É, para nós, uma necessidade, mas também sentimos a obrigação de retribuir à sociedade todo o apoio que recebemos, dos mais diversos organismos, trazendo de volta a Música ao espaço público.”


Repertório

American Express (Bob Brookmeyer; arr. Bob Brookmeyer para a The Village Vanguard Orchestra)

Don’t Get Sassy (Thad Jones, arr. Thad Jones para a Thad Jones/Mel Lewis Big Band)

Groove Merchant (Thad Jones, arr. Thad Jones para a Thad Jones/Mel Lewis Big Band)

Hang Gliding (Maria Schneider; arr. Maria Schneider para a Maria Schneider Orchestra)

Choro Dançado (Maria Schneider)

Make me Smile (Bob Brookmeyer)

Skylark (Hoagy Carmichael; arr. Bob Brookmeyer)

Child Is Born (Thad Jones; arr. Thad Jones para a Thad Jones/Mel Lewis Big Band)

Formação

Direcção Musical: Pedro Guedes

Saxofones: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javi Pereiro,

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Secção Ritmica: Carlos Azevedo (piano), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

Image
20

Dezembro

  ·  

15:00
Orquestra de Todas as Famílias
Evento Online

A partir da experiência com a Orquestra de Famílias de Matosinhos, e de forma a contornar os constrangimentos que levaram à suspensão dos encontros presenciais devido à pandemia da Covid-19, surgiu a vontade de fazer algo que pudesse unir todas as famílias do país: uma Orquestra de Todas as Famílias.


Assim, no próximo domingo, dia 20, às 15h00, as famílias portuguesas são desafiadas para uma sessão musical on-line, através do Youtube da Orquestra Jazz de Matosinhos. A proposta é que, a partir de suas casas, despertam o corpo e os sentidos para fazer música a partir do que as rodeia… copos, talheres, um secador de cabelo e ou uma cenoura (!).


Este primeiro desafio consiste num jogo em que as famílias, à medida que aprendem a tocar os ritmos propostos, podem escolher o que querem acrescentar para passarem ao nível seguinte. Desta forma interativa, cada família vai poder construir uma música ao seu gosto e cada vez que decidir fazer o desafio poderá chegar a um resultado musical diferente.


Com direção artística de Inês Lapa, Inês Luzio e Beatriz Rola (formadoras da Orquestra de Famílias de Matosinhos), esta iniciativa contou com captação de som de Jorge Queijo e a captação/edição dos vídeos foi realizada por Alexandra Côrte-Real.


Recorde-se que a Orquestra de Famílias de Matosinhos é um projeto do Programa Educativo da Orquestra Jazz de Matosinhos, fundada em parceria com a Câmara Municipal de Matosinhos. Com um trabalho regular desde Setembro de 2018, a OFM conta com a participação de cerca de 30 famílias, num total de 85 elementos de todas as idades.


VER PROJECTO
20

Novembro

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Tomás Marques
Novos Talentos do Jazz | Teatro Municipal Constantino Nery, Matosinhos

Novos Talentos do Jazz
Tomás Marques - saxofone


O ciclo da OJM dedicado aos Novos Talentos do Jazz convida o saxofonista Tomás Marques.


Revelação da nova geração do jazz português, o saxofonista Tomás Marques é o próximo convidado da Orquestra Jazz de Matosinhos no ciclo Novos Talentos do Jazz que se realiza dia 20 de Novembro, no Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery. Natural de Estarreja, criou o seu próprio quarteto enquanto estudava na Escola Superior de Música de Lisboa, uma viagem entre o jazz tradicional e o jazz moderno de forma singular. Membro da Big Band Estarrejazz, já tocou com grandes nomes do jazz português e internacional. Vencedor do Prémio Jovens Músicos 2019, na categoria jazz combo, Tomás Marques, de 20 anos, integra o projecto “Entre Paredes” de Bernardo Moreira e vai apresentar-se como solista ao lado da Orquestra Jazz de Matosinhos. Ao vivo, com direcção do compositor, maestro e pianista Carlos Azevedo, vão interpretar temas de Kurt Rosenwinkel, João Paulo Esteves da Silva, Carlos Azevedo, Carlos Bica e Florien Ross, mas também dois originais do saxofonista com arranjos de Andreia Santos e Paulo Perfeito. Recorde-se que o Ciclo Novos Talentos do Jazz se realiza desde 2014, duas vezes por ano, com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos. Esta é a 12ª edição deste ciclo que, desde 2019, apresenta também os novos talentos do Jazz de Espanha.


FOLHA DE SALA


Repertório
Alguém Olhará Por Ti (Carlos Bica)

Ramblin (Florien Ross)

Do Pé Prá Mão (Carlos Azevedo)

Path Of The Heart (Kurt Rosenwinkel)

Certeza (João Paulo Esteves da Silva)

Spring Can Really Hang You Up The Most (Maria João)

O outro Lado da Peça (Tomás Marques)

Portal (Tomás Marques)

Direção musical: Carlos Azevedo

Convidado: Tomás Marques (saxofone)

Madeiras: José Luís Rego, João Guimarães, Mário Santos, Hugo Ciriaco, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: José Carlos Barbosa (contrabaixo), João Cunha (bateria), José Diogo Martins (piano)

VER PROJECTO
5

Novembro

  ·  

21:30
Orquestra Jazz de Matosinhos
Caldas Nice Jazz | Centro Cultural e Congressos, Caldas da Rainha

Orquestra Jazz de Matosinhos em itinerância com "Viagem Pelo Jazz Português: Compositores"


A Orquestra Jazz de Matosinhos arranca, dia 1 de Outubro, com a itinerância “Viagem Pelo Jazz Português: Compositores", no Teatro Municipal de Bragança, no âmbito do Festival Bragança Jazz. A 5 de Novembro é a vez do Centro Cultural das Caldas da Rainha receber a big band, no regresso ao Festival Caldas Nice Jazz.

Depois de dois ciclos de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz”, em 2018 e 2019, onde se recordou o chamado “período de ouro” das big bands nos EUA até aos dias de hoje, a OJM recupera agora aquele que tem sido o seu mais valioso contributo para o legado do Jazz ao longo dos anos: o estímulo à criação de originais para big band.

Recorde-se que, desde 2001, a OJM tem vindo a apostar continuamente na construção de um repertório português para orquestra de jazz começando com a música dos seus directores, Pedro Guedes e Carlos Azevedo, mas também com encomendas a outros compositores como Zé Eduardo, Mário Laginha, Bernardo Sassetti, Carlos Guedes, Pedro Moreira, Luís Tinoco, Paulo Perfeito, entre outros. O resultado é um extenso repertório de grande qualidade do qual será apresentada uma selecção cuidada e dinâmica.


Assim, no concerto “Viagem Pelo Jazz Português: Compositores", a OJM vai recordar algumas das encomendas feitas ao longos dos anos, tendo em consideração a diversidade na escrita e no estilo. Temas estreados pela orquestra, como por exemplo “Pescaria”, de Bernardo Sassetti, a única obra composta para big band pelo pianista e tocada pela primeira vez na Porto Capital Europeia da Cultura 2001. Mas também, “Singularity”, a primeira composição de Nelson Cascais para orquestra; “Syzygy”, de Marco Barroso; “Melusina”, de Pedro Moreira, a partir de uma figura mítica, oriunda de uma das várias tradições populares que relatam o mito da sereia; “A Ascenção do Quadrado Verde”, de António Torres, peça que celebra a obra de Amadeo de Souza-Cardoso; “Fragmentos, Interlúdio e Canção IX” de Daniel Bernardes; “8 de Maio”, de Paulo Gomes, composto em memória das vítimas da II Guerra Mundial; e “Original Sin”, de Paulo Perfeito, que teve como ponto de partida o início do Universo tal como se pensa que aconteceu: o Big Bang.


Em 2021 realiza-se a última fase da itinerância com a digressão “Viagem Pelo Jazz Português: Novos Talentos”, dedicado às composições dos jovens músicos que, duas vezes por ano, a OJM convida como solistas no ciclo Novos Talentos do Jazz. Posteriormente, o repertório dos concertos “Viagem Pelo Jazz Português” serão registados em disco.

Direção musical: Carlos Azevedos

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: José Diogo Martins (piano), André Fernandes (guitarra), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

Image
27

Outubro

  ·  

21:30
Orquestra Jazz de Matosinhos & Gileno Santana / Miles Ahead & Porgy and Bess
CaixaForum, Madrid

Depois de ter esgotado a sala Suggia da Casa da Música, a Orquestra Jazz de Matosinhos vai a Espanha, ainda este mês, recriar o icónico álbum de Miles David, "Miles Ahead" (1957), um dos mais importantes da sua carreira e o primeiro a ser gravado em parceria com Gil Evans. Além deste, vai ainda recordar uma das mais frutuosas colaborações do músico e compositor com George Gershwin em "Porgy and Bess" (1958), e Ahmad Jamal, um dos seus pianistas de eleição. Dia 25 de outubro, no CaixaFórum Barcelona [concerto com lotação já esgotada], e dia 27, no CaixaFórum Madrid, a big band vai fazer-se acompanhar pelo trompetista luso-brasileiro Gileno Santana, neste que é o regresso da OJM a Espanha depois de quatro anos de residência no Voll-Damm Festival Internacional de Jazz de Barcelona e de, em 2019, se ter estreado em Madrid com Maria João.


Estes concertos estão integrados na Cultura Portugal 2020 - 18ª Mostra de Cultura Portuguesa em Espanha.

Direção musical: Pedro Guedes

Convidado: Gileno Santana (trompete)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, Olavo Barros, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro, Pedro Jerónimo

Trompas: Nelson Silva, Pedro Fernandes, Nuno Silva

Trombones: Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Tuba: Gil Gonçalves

Secção Rítmica: José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
25

Outubro

  ·  

21:30
Orquestra Jazz de Matosinhos & Gileno Santana / Miles Ahead & Porgy and Bess
CaixaForum, Barcelona

Depois de ter esgotado a sala Suggia da Casa da Música, a Orquestra Jazz de Matosinhos vai a Espanha, ainda este mês, recriar o icónico álbum de Miles David, "Miles Ahead" (1957), um dos mais importantes da sua carreira e o primeiro a ser gravado em parceria com Gil Evans. Além deste, vai ainda recordar uma das mais frutuosas colaborações do músico e compositor com George Gershwin em "Porgy and Bess" (1958), e Ahmad Jamal, um dos seus pianistas de eleição. Dia 25 de outubro, no CaixaFórum Barcelona [concerto com lotação já esgotada], e dia 27, no CaixaFórum Madrid, a big band vai fazer-se acompanhar pelo trompetista luso-brasileiro Gileno Santana, neste que é o regresso da OJM a Espanha depois de quatro anos de residência no Voll-Damm Festival Internacional de Jazz de Barcelona e de, em 2019, se ter estreado em Madrid com Maria João.


Estes concertos estão integrados na Cultura Portugal 2020 - 18ª Mostra de Cultura Portuguesa em Espanha.

Direção musical: Pedro Guedes

Convidado: Gileno Santana (trompete)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, Olavo Barros, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro, Pedro Jerónimo

Trompas: Nelson Silva, Pedro Fernandes, Nuno Silva

Trombones: Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Tuba: Gil Gonçalves

Secção Rítmica: José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
11

Outubro

  ·  

21:30
Orquestra Jazz de Matosinhos & Gileno Santana / Miles Ahead & Porgy and Bess
Casa da Música - Sala Suggia, Porto

Concerto de homenagem à obra de Miles Davis e Gil Evans


A Orquestra Jazz de Matosinhos homenageia Miles Davis, o grande camaleão do jazz. Quando se juntou a Gil Evans, o tempo áureo das big bands já tinha passado, mas o arranjador canadiano trouxe uma proposta arrojada: a gravação de um disco em forma de suite com uma orquestra de jazz alargada a uma instrumentação pouco comum (incluindo trompas, clarinetes, flautas e muito mais). O disco chamou-se Miles Ahead, e a ele seguiram-se outros dois a coroar esta parceria frutuosa: Porgy and Bess e Sketches of Spain. A história do jazz já não se escreveria sem estes capítulos que, segundo Miles, procuravam trazer de volta a melodia para o centro da improvisação. O solista convidado para reconstituir, ao lado da OJM, as sonoridades únicas destes discos é um mestre na criação de melodias originais e desafiantes: Gileno Santana, trompetista luso-brasileiro com intensa carreira e reconhecimento internacional.

Direcção: Pedro Guedes

Solista: Gileno Santana (trompete)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, Olavo Barros, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro, Pedro Jerónimo

Trompas: Nelson Silva, Pedro Fernandes, Nuno Silva

Trombones: Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Tuba: Gil Gonçalves

Secção Rítmica: José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
1

Outubro

  ·  

21:30
Orquestra Jazz de Matosinhos
Teatro Municipal, Bragança

Orquestra Jazz de Matosinhos em itinerância com "Viagem Pelo Jazz Português: Compositores"


A Orquestra Jazz de Matosinhos arranca, dia 1 de Outubro, com a itinerância “Viagem Pelo Jazz Português: Compositores", no Teatro Municipal de Bragança, no âmbito do Festival Bragança Jazz. A 5 de Novembro é a vez do Centro Cultural das Caldas da Rainha receber a big band, no regresso ao Festival Caldas Nice Jazz.

Depois de dois ciclos de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz”, em 2018 e 2019, onde se recordou o chamado “período de ouro” das big bands nos EUA até aos dias de hoje, a OJM recupera agora aquele que tem sido o seu mais valioso contributo para o legado do Jazz ao longo dos anos: o estímulo à criação de originais para big band.

Recorde-se que, desde 2001, a OJM tem vindo a apostar continuamente na construção de um repertório português para orquestra de jazz começando com a música dos seus directores, Pedro Guedes e Carlos Azevedo, mas também com encomendas a outros compositores como Zé Eduardo, Mário Laginha, Bernardo Sassetti, Carlos Guedes, Pedro Moreira, Luís Tinoco, Paulo Perfeito, entre outros. O resultado é um extenso repertório de grande qualidade do qual será apresentada uma selecção cuidada e dinâmica.


Assim, no concerto “Viagem Pelo Jazz Português: Compositores", a OJM vai recordar algumas das encomendas feitas ao longos dos anos, tendo em consideração a diversidade na escrita e no estilo. Temas estreados pela orquestra, como por exemplo “Pescaria”, de Bernardo Sassetti, a única obra composta para big band pelo pianista e tocada pela primeira vez na Porto Capital Europeia da Cultura 2001. Mas também, “Singularity”, a primeira composição de Nelson Cascais para orquestra; “Syzygy”, de Marco Barroso; “Melusina”, de Pedro Moreira, a partir de uma figura mítica, oriunda de uma das várias tradições populares que relatam o mito da sereia; “A Ascenção do Quadrado Verde”, de António Torres, peça que celebra a obra de Amadeo de Souza-Cardoso; “Fragmentos, Interlúdio e Canção IX” de Daniel Bernardes; “8 de Maio”, de Paulo Gomes, composto em memória das vítimas da II Guerra Mundial; e “Original Sin”, de Paulo Perfeito, que teve como ponto de partida o início do Universo tal como se pensa que aconteceu: o Big Bang.


Em 2021 realiza-se a última fase da itinerância com a digressão “Viagem Pelo Jazz Português: Novos Talentos”, dedicado às composições dos jovens músicos que, duas vezes por ano, a OJM convida como solistas no ciclo Novos Talentos do Jazz. Posteriormente, o repertório dos concertos “Viagem Pelo Jazz Português” serão registados em disco.

Direção musical: Carlos Azevedo

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: José Diogo Martins (piano), André Fernandes (guitarra), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

Image
20

Setembro

  ·  

19:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Kurt Rosenwinkel
2.º Aniversário na Real Vinícola | Real Vinícola, Matosinhos

A Orquestra Jazz de Matosinhos celebra o 2.º aniversário na Real Vinícola num concerto com Kurt Rosenwinkel dia 20, às 19h00, cumprindo as regras da Direção Geral da Saúde.


A OJM reencontra-se com um amigo de longa data para celebrar, também, 10 anos da edição do disco em conjunto, "Our Secret World", num concerto patrocinado pela Câmara Municipal de Matosinhos. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início do concerto.


PULSEIRAS ESGOTADAS


O concerto será transmitido em directo através do canal youtube da Orquestra Jazz de Matosinhos. 

_____


A colaboração de Kurt Rosenwinkel com a Orquestra Jazz de Matosinhos iniciou-se em 2008 e, desde então, têm sido vários os encontros em palco entre a big band e o guitarrista norte-americano, seja em Portugal, em Espanha ou nos EUA.

Referência do jazz moderno, Kurt Rosenwinkel tem um timbre singular que o distingue em todo o mundo. Com 30 anos de percurso, tem mais de 10 discos editados como líder e inúmeras participações com músicos como Brad Mehldau, Brian Blade, Joshua Redman, Chris Potter, Joe Henderson, Paul Motian e Gary Burton.

Ao longo dos anos, a colaboração entre a OJM e Kurt Rosenwinkel tem sido enriquecida com novos arranjos a músicas do guitarrista que farão parte do concerto de dia 20, nomeadamente: "Flute", com arranjo de Ohad Talmor, "Song of our Sea" arranjo de Pedro Guedes, e "Cycle Five" arranjo de Carlos Azevedo.

Direção musical: Pedro Guedes

Convidado: Kurt Rosenwinkel (guitarra)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, Diego Alonso e Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogerio Ribeiro, Javi Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Alvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

 Secção Ritmica: Carlos Azevedo (piano), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
Image
25

Julho

  ·  

22:00
O Couraçado Potemkin - Serguei Eisenstein
Filme-Concerto | Real Vinícola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:


“Jazz na Real Vinícola”:

Ciclo de Concertos em Julho


A Câmara Municipal de Matosinhos e a Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam o ciclo de concertos “Jazz na Real Vinícola”, todos os sábados de Julho. Depois do concerto que marcou o regresso das actividades culturais, a 1 de Junho, a orquestra quer continuar a tocar e apresentar ao vivo os diferentes repertórios que tem trabalhado ao longo de 23 anos de percurso.


No último concerto do ciclo, a OJM apresenta o cine-concerto "O Couraçado Potemkine", considerado um dos melhores filmes de todos os tempos, um dos mais conhecidos da história do cinema e que apresenta uma das mais célebres sequências da sétima arte.

Para Charlie Chaplin, era mesmo o seu favorito. Realizado por Sergei Eisenstein, "O Couraçado Potemkin” é um filme mudo soviético que estreou em 1925 e apresenta uma versão dramatizada da rebelião ocorrida em 1905, onde os tripulantes do navio de guerra Bronenosets Potyomkin/O Couraçado Potemkin se revoltaram contra seus oficiais superiores. Depois de se ouvir a nova banda sonora em estreia mundial na IV edição do Close-Up - Observatório de Cinema de Famalicão, a OJM regressa às partituras escritas por João Guimarães, João Pedro Brandão, Paulo Perfeito, Pedro Guedes e Telmo Marques.


A entrada para estes concertos do ciclo, na praça exterior da Real Vinícola - onde se encontra o estúdio da Orquestra Jazz de Matosinhos -, é de acesso livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Poderão levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, no Posto de Turismo de Matosinhos e na Casa da Arquitetura, nos três dias que antecedem cada concerto. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Em Julho, há Jazz na Real Vinícola!

Direção musical: Pedro Guedes

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Hugo Raro (piano), Miguel Moreira (guitarra), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

Image
18

Julho

  ·  

19:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & João Paulo Esteves da Silva
Real Vinícola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:


“Jazz na Real Vinícola”:

Ciclo de Concertos em Julho


A Câmara Municipal de Matosinhos e a Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam o ciclo de concertos “Jazz na Real Vinícola”, todos os sábados de Julho. Depois do concerto que marcou o regresso das actividades culturais, a 1 de Junho, a orquestra quer continuar a tocar e apresentar ao vivo os diferentes repertórios que tem trabalhado ao longo de 23 anos de percurso.


No terceiro concerto do ciclo, a OJM reencontra-se com o pianista João Paulos Esteves da Silva para percorrer os temas do projecto comum "Bela Senão Sem". Canções sem palavras mas que se valem da musicalidade da língua portuguesa, de uma enorme criatividade melódica e que encontram também os caminhos imprevistos da improvisação. No piano, João Paulo Esteves da Silva divide os momentos de criação instantânea com os solistas da OJM.


A entrada para estes concertos do ciclo, na praça exterior da Real Vinícola - onde se encontra o estúdio da Orquestra Jazz de Matosinhos -, é de acesso livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Poderão levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, no Posto de Turismo de Matosinhos e na Casa da Arquitetura, nos três dias que antecedem cada concerto. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Em Julho, há Jazz na Real Vinícola!

Direção musical: Carlos Azevedo

Convidado: João Paulo Esteves da Silva (piano)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Nuno Ferreira (guitarra), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
Image
11

Julho

  ·  

19:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Marta Ren
Real Vinícola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:


“Jazz na Real Vinícola”:

Ciclo de Concertos em Julho


A Câmara Municipal de Matosinhos e a Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam o ciclo de concertos “Jazz na Real Vinícola”, todos os sábados de julho. Depois do concerto que marcou o regresso das actividades culturais, a 1 de Junho, a orquestra quer continuar a tocar e apresentar ao vivo os diferentes repertórios que tem trabalhado ao longo de 23 anos de percurso.


No segundo concerto do ciclo, a OJM reencontra-se com a Marta Ren para reinterpretar o primeiro disco a solo da cantora "Stop, Look, Listen". Um trabalho de 2016 que é uma espécie de bilhete de identidade musical da portuense, mergulhando nos anos dourados da soul e do funk, desta vez com arranjos bara big band. No concerto há ainda espaço para alguns clássicos favoritos da Marta.


A entrada para estes concertos do ciclo, na praça exterior da Real Vinícola - onde se encontra o estúdio da Orquestra Jazz de Matosinhos -, é de acesso livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Poderão levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, no Posto de Turismo de Matosinhos e na Casa da Arquitetura, nos três dias que antecedem cada concerto. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Em Julho, há Jazz na Real Vinícola!

Direção musical: Pedro Guedes

Convidada: Marta Ren (voz)

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
Image
4

Julho

  ·  

19:00
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz
Real Vinícola, Matosinhos

Câmara de Matosinhos e Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam:


“Jazz na Real Vinícola”:

Ciclo de Concertos em Julho


A Câmara Municipal de Matosinhos e a Orquestra Jazz de Matosinhos apresentam o ciclo de concertos “Jazz na Real Vinícola”, todos os sábados de julho. Depois do concerto que marcou o regresso das actividades culturais, a orquestra quer continuar a tocar e apresentar ao vivo os diferentes repertórios que tem trabalhado ao longo de 23 anos de percurso.


No primeiro concerto do ciclo, “Viagem Pelos Tempos do Jazz: As Big Bands e o Jazz Moderno”, a OJM percorre a época do jazz contemporâneo, raramente abordada em retrospectivas do género, através da audição de obras para grande orquestra de jazz. De George Russell a Thad Jones, passando por Eddie Sauter, Oliver Nelson, Bob Brookmeyer, Charles Mingus e Maria Schneider.


A entrada para estes concertos, na praça exterior da Real Vinícola - onde se encontra o estúdio da Orquestra Jazz de Matosinhos -, é de acesso livre, mediante a lotação do espaço e de acordo com as regras da DGS. Poderão levantar a pulseira que dá acesso aos concertos na Câmara de Matosinhos, no Posto de Turismo de Matosinhos e na Casa da Arquitetura, nos três dias que antecedem cada concerto. No dia do concerto, a entrada na Real Vinícola tem de ser feita até meia hora antes do início dos concertos.


Em Julho, há Jazz na Real Vinícola!

Direção musical: Pedro Guedes

Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Filipe Louro (contrabaixo), João Cunha (bateria)

VER PROJECTO
Image
1

Junho

  ·  

19:00
Orquestra Jazz de Matosinhos
Real Vinícola, Matosinhos

Dia 1 de Junho: ao ar livre e com entrada livre

Orquestra Jazz de Matosinhos celebra o regresso da actividade cultural com concerto

 

A Orquestra Jazz de Matosinhos está de volta aos concertos depois de três meses do confinamento imposto pelo Covid-19. E para celebrar o regresso das actividades culturais, ditado pelo Governo para o dia 1 de Junho, a big band oferece, na próxima segunda-feira, um concerto na Real Vinícola, pelas 19h00 e com entrada livre – limitada à lotação do espaço e seguindo as orientações da Direcção Geral de Saúde.

 

O director da OJM, Pedro Guedes, explica a vontade a tocar e partilhar com o público a sua música: “Estamos parados à bastante tempo, demasiado. Como todos os portugueses queremos recuperar alguma normalidade, reconhecendo e respeitando os cuidados a que os tempos obrigam. Agora que são conhecidas as regras para o regresso da actividade cultural sentimos que estava na hora de voltar a tocar e ser ouvidos. É, para nós, uma necessidade, mas também sentimos a obrigação de retribuir à sociedade todo o apoio que recebemos, dos mais diversos organismos, trazendo de volta a Música ao espaço público.”

 

Três meses depois de terem adiado o concerto do Ciclo Novos Talentos, aquando do início da pandemia, a OJM está de volta aos palcos e convida todos os amigos e seguidores para um concerto cujo repertório vai percorrer a época do jazz clássico revisitando algumas das mais importantes obras para grande orquestra de jazz. De Count Basie a Duke Ellington, passando por Sy Oliver, Gil Evans e Fletcher Henderson.

 

A entrada de público na Real Vinícola irá acontecer por ordem de chegada e de forma controlada, seguindo todas as regras de segurança, a partir das 18h00. O concerto tem início às 19h00.

Image
15

Fevereiro

  ·  

14:30
Docas: Tinido Toada Zoada com Samuel Martins Coelho / Workshop
Programa Educativo | CARA, Matosinhos

Podemos transformar utensílios de cozinha em instrumentos musicais?


Sim! Neste workshop vamos criar música a partir das panelas, frigideiras e tachos lá de casa, explorando novas sonoridades dentro do contexto musical. Através de várias técnicas e ferramentas, este workshop desenvolve competências criativas, expressivas e musicais de uma forma lúdica e divertida, onde o experimentar, compor, mexer, desconcertar, errar e o acertar convivem alegremente. No final vamos fazer uma pequena apresentação final do trabalho desenvolvido durante o workshop.

Orientado por Samuel Martins Coelho, o workshop Tinido Toada Zoada integra o programa DOCAS que traz mensalmente ao CARA actividades gratuitas que exploram a música nas suas mais variadas formas.


A entrada é livre mas a lotação é limitada. As inscrições devem ser feitas para o info@ojm.pt.

Cada participante deverá trazer 2 utensílios de cozinha: panela, tachos ou frigideiras.

Idade mínima : 7 anos

VER PROJECTO
8

Fevereiro

  ·  

22:30
Orquestra Jazz de Matosinhos & Peter Evans
10º Festival Porta-Jazz | Teatro Municipal Rivoli, Porto


Peter Evans & Orquestra Jazz de Matosinhos
10º Festival Porta-Jazz

Até se podia chamar-lhe destino, mas a verdade é que Peter Evans e a Orquestra Jazz de Matosinhos voltam a encontrar-se. O Festival Porta-Jazz é testemunha deste reatar de conversa, tendo como fio condutor uma mão cheia de composições do trompetista norte-americano e portador de um som único. Figura maior do jazz mundial, volta a estar rodeado de uma big band de renome, com 22 anos de carreira e colaborações com grandes nomes, desde Chris Cheek a Carla Bley, que marca presença no festival onde já esteve nas primeiras edições, apoiando assim o movimento da Porta-Jazz porque faz parte dele. Esta actuação tem como título “Perception Beyond Knowing”, nome de um tema do mais recente disco de Peter Evans, e dela constam novos arranjos para alguns dos seus registos, criados em várias épocas, a que se soma “I Want to Talk To You”, um standard de Billy Eckstein assombrado pela magnífica versão de John Coltrane. Uma ponte entre o jazz clássico e o contemporâneo, sem esquecer a música erudita.

Direção musical: Pedro Guedes

Composição e Trompete: Peter Evans (convidado)
Madeiras: João Guimarães, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Hugo Raro (piano), Miguel Moreira (guitarra), Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)
VER PROJECTO
28

Dezembro

  ·  

22:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Marta Ren
Avenida dos Aliados, Porto



MARTA REN CONVIDA ORQUESTRA JAZZ DE MATOSINHOS


Entrada Livre


A antecipar a noite da Passagem de Ano no Porto, a cidade despede-se de 2019 com um espetáculo especial de outra das suas vozes. Marta Ren regressa aos Aliados a 28 de dezembro para inaugurar mais um ciclo de Concertos na Avenida e concretizar um sonho antigo: cantar as suas músicas acompanhadas de uma orquestra.


Surge assim este feliz e improvável encontro, com Marta Ren a convidar a Orquestra Jazz de Matosinhos para a reinterpretação do seu primeiro disco a solo, "Stop, Look, Listen". Editado em março de 2016, pela editora italiana Record Kicks, o álbum é uma espécie de bilhete de identidade musical da portuense, mergulhando nos anos dourados da soul e do funk.


Com mais de 20 anos de carreira e um crescente reconhecimento internacional, Marta Ren é hoje um dos nomes maiores da soul nacional. No último sábado do ano, dia 28 de dezembro, a partir das 22 horas, é parar, olhar e ouvir!



Voz:

Marta Ren



Direcção Musical:

Pedro Guedes



Saxofones: José Luis Rego, João Guimarães, Mario Santos, José Pedro Coelho, Rui TeixeiraTrompetes: Luis Macedo, Javier Pereiro, Rogério Ribeiro, Pedro JerónimoTrombones: Daniel Dias, Alvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo DiasSecção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)



FB EVENTO


martarengroovelvets.bandcamp.com


VER PROJECTO
Image
21

Dezembro

  ·  

15:30
Orquestra de Famílias de Matosinhos
Programa Educativo | Mercado de Matosinhos, Matosinhos

Orquestra de Famílias no Mercado

Entrada Livre


A Orquestra de Famílias de Matosinhos volta a apresentar-se fora de portas. O Mercado Municipal de Matosinhos, um dos espaços mais emblemáticos da cidade, vai ser palco de um espectáculo inclusivo onde o som ambiente, os pregões e a sinfonia dos utensílios das bancas serão o centro de todas as atenções. Além dos temas criados com e para este espaço, o concerto vai incluir ainda algumas composições originais da Orquestra de Famílias de Matosinhos.


Recorde-se que a OFM é um projecto do Programa Educativo da Orquestra Jazz de Matosinhos e conta com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos. Constituída por 26 famílias, num total de cerca de 70 pessoas, reúne-se quinzenalmente no estúdio da OJM na Real Vinícola, em Matosinhos, para desenvolver um processo criativo conjunto no qual todos os intervenientes contam.


VER PROJECTO
Image
8

Dezembro

  ·  

16:00
Orquestra Jazz de Matosinhos
Jazz no Concelho | Salão Paroquial de Perafita, Matosinhos


JAZZ NO CONCELHO
Entrada Gratuita
A Orquestra Jazz de Matosinhos preparou um espectáculo onde revisita o “período de ouro” das big bands, entre 1925 e 1955, e explora alguns dos seus momentos essenciais. Da origem das big bands a uma certa ingenuidade do “jazz sinfónico”, passando pela afirmação do génio de Duke Ellington, um dos mais brilhantes e elegantes líderes de grandes orquestras, este espectáculo tem ainda momentos de jazz dançante, fase que culmina com a revelação do grande Count Basie, e de swing com destaque para Jimmy Lucenford e Benny Goodman.
Criada em 1997, a Orquestra Jazz de Matosinhos tem o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos desde 1999, e promove a criação, a investigação, a divulgação e a formação na área do jazz, cruzando a ambição internacional com o sentido de responsabilidade local. Dirigida por Pedro Guedes e Carlos Azevedo, tem colaborado com nomes tão diversos como Kurt Rosenwinkel, Fred Hersh, Lee Konitz, Carla Bley, Maria Schneider, Dee Dee Bridgewater, Maria João, Mayra Andrade, Maria Rita ou Manuela Azevedo, entre muitos outros.

Presença assídua nas maiores salas do mundo, afirma-se como Orquestra de Jazz Nacional. O seu percurso foi recentemente reconhecido com a atribuição da Medalha de Mérito Cultural pelo Governo.

Direcção Musical: Pedro Guedes

Saxofones: José Luis Rego, João Guimarães, Mario Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luis Macedo, Rogerio Ribeiro, Ricardo Formoso, Javi Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Alvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Diogo Dinis (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)
Image
1

Dezembro

  ·  

21:30
Apresentação do Workshop - Sintonia e Ressonância com Peter Evans
Programa Educativo | CARA, Matosinhos

Peter Evans
Apresentação do Workshop: Sintonia e Ressonância

Entrada Livre

01 Dezembro
21h30 - Concerto de Apresentação

Nos dias 30 de novembro e 1 de Dezembro, o CARA transforma-se num palco de experimentação para estudantes ou ex-estudantes de música da clássica ao jazz. Num workshop com duas sessões de trabalho sobre estruturas de composição (sejam em partitura ou aprendidas de ouvido) e sobretudo sobre improvisação no seu sentido mais lato, pretende-se explorar a subjectividade e referências particulares de cada um dos participantes e como se articulam entre si. O processo de criação em conjunto resultará numa apresentação no final do segundo dia, única e específica deste encontro. O objectivo será promover a importância da sintonia entre os músicos, ouvindo, desconstruindo e experimentando, para que, através dos seus instrumentos, veículos para transmissão de ideias e emoções, se crie um objecto musical.

Peter Evans estudou trompete clássico no conservatório de Oberlin mas em 2003 muda-se para Nova Iorque onde se destaca tanto na cena jazz como na música erudita contemporânea e em geral na música experimental. Além do Peter Evans Ensemble e Being & Becoming Ensemble que lidera, colaborou com o International Contemporary Ensemble e tocou com uma extensa lista de grandes nomes da música nova como John Zorn, Ambrose Akinmusere, Jim Black, Weasel Walter, Ingrid Laubrock entre muitos outros.

Local: CARA - Centro de Alto Rendimento Artístico - Real Vinícola, Matosinhos

FB EVENTO

www.peterevanstrumpet.com

VER PROJECTO
1

Dezembro

  ·  

21:30
Orquestra Jazz de Matosinhos
Jazz no Concelho | Cripta da Igreja da Sra. da Hora, Matosinhos

JAZZ NO CONCELHO

Entrada Gratuita

A Orquestra Jazz de Matosinhos preparou um espectáculo onde revisita o “período de ouro” das big bands, entre 1925 e 1955, e explora alguns dos seus momentos essenciais. Da origem das big bands a uma certa ingenuidade do “jazz sinfónico”, passando pela afirmação do génio de Duke Ellington, um dos mais brilhantes e elegantes líderes de grandes orquestras, este espectáculo tem ainda momentos de jazz dançante, fase que culmina com a revelação do grande Count Basie, e de swing com destaque para Jimmy Lucenford e Benny Goodman.

Criada em 1997, a Orquestra Jazz de Matosinhos tem o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos desde 1999, e promove a criação, a investigação, a divulgação e a formação na área do jazz, cruzando a ambição internacional com o sentido de responsabilidade local. Dirigida por Pedro Guedes e Carlos Azevedo, tem colaborado com nomes tão diversos como Kurt Rosenwinkel, Fred Hersh, Lee Konitz, Carla Bley, Maria Schneider, Dee Dee Bridgewater, Maria João, Mayra Andrade, Maria Rita ou Manuela Azevedo, entre muitos outros.

Presença assídua nas maiores salas do mundo, afirma-se como Orquestra de Jazz Nacional. O seu percurso foi recentemente reconhecido com a atribuição da Medalha de Mérito Cultural pelo Governo.

Direcção Musical:
Pedro Guedes

Saxofones: José Luis Rego, João Guimarães, Mario Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luis Macedo, Rogerio Ribeiro, Hugo Silva, Eduardo Santos
Trombones: Daniel Dias, Alvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Ritmica: Demian Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)


FB EVENTO

30

Novembro

  ·  

21:00
Orquestra Jazz de Matosinhos - Jazz In The Space Age
Casa da Música (Sala Suggia), Porto

Jazz in the Space Age - Música de George Russell


George Russell desenvolveu a primeira teoria musical nascida das entranhas do jazz. Criou uma nova abordagem à criação que foi revolucionária e mudou o percurso de figuras como Miles Davis, John Coltrane e Ornette Coleman – o famoso disco Kind of Blue de Miles e todo o jazz modal não teria existido sem as ideias de Russell. As suas obras‑primas Jazz in the Space Age e All About Rosie foram dois grandes exemplos práticos desses conceitos que abriam um novo mundo de sonoridades para o jazz. Neste projecto, a Orquestra Jazz de Matosinhos celebra o legado de Russell e a sua música que continua a soar moderna, contando com a parceria de dois grandes solistas.


Direção musical: Pedro Guedes

Piano: João Paulo Esteves da Silva - Convidado

Piano: José Diogo Martins - Convidado

Saxofone tenor: Andy Sheppard - Convidado

Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira

Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro

Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias

Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Damien Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)

VER PROJECTO
30

Novembro

  ·  

14:30
Peter Evans - Sintonia e Ressonância - Workshop
Programa Educativo | CARA, Matosinhos

Peter Evans
Workshop: Sintonia e Ressonância

Nos dias 30 de novembro e 1 de Dezembro, o CARA transforma-se num palco de experimentação para estudantes ou ex-estudantes de música da clássica ao jazz. Num workshop com duas sessões de trabalho sobre estruturas de composição (sejam em partitura ou aprendidas de ouvido) e sobretudo sobre improvisação no seu sentido mais lato, pretende-se explorar a subjectividade e referências particulares de cada um dos participantes e como se articulam entre si. O processo de criação em conjunto resultará numa apresentação no final do segundo dia, única e específica deste encontro. O objectivo será promover a importância da sintonia entre os músicos, ouvindo, desconstruindo e experimentando, para que, através dos seus instrumentos, veículos para transmissão de ideias e emoções, se crie um objecto musical.

Peter Evans estudou trompete clássico no conservatório de Oberlin mas em 2003 muda-se para Nova Iorque onde se destaca tanto na cena jazz como na música erudita contemporânea e em geral na música experimental. Além do Peter Evans Ensemble e Being & Becoming Ensemble que lidera, colaborou com o International Contemporary Ensemble e tocou com uma extensa lista de grandes nomes da música nova como John Zorn, Ambrose Akinmusere, Jim Black, Weasel Walter, Ingrid Laubrock entre muitos outros.

Para que cada músico possa explorar o potencial das sessões o workshop está limitado a 10 pessoas, idealmente, por questões de equilíbrio, todas com instrumentos diferentes. Exemplo de grupo: Piano, baixo, percussão, violino, violoncelo, trompete, trombone, trompa, saxofone e electrónica/laptop.

Horário:

30 Novembro
14h30 - 19h30

01 Dezembro
17h - 19h30/20h
21h30 - Concerto

Local: CARA - Centro de Alto Rendimento Artístico - Real Vinícola, Matosinhos
Preço: 20€
Inscrições e informações: info@ojm.pt ou acorte-real@ojm.pt até 25 de Novembro

FB EVENTO

www.peterevanstrumpet.com

VER PROJECTO
Image
24

Novembro

  ·  

17:00
Orquestra de Famílias de Matosinhos e Tânia Dinis
Programa Educativo | Teatro Municipal Rivoli, Porto

Orquestra de Famílias de Matosinhos e Tânia Dinis

Recortes De Família


O Porto/Post/Doc e a Orquestra de Famílias de Matosinhos apresentam um espectáculo audiovisual único, dirigido a toda a família. Além da interpretação ao vivo de temas originais, o espectáculo inclui também uma componente visual criada, sob orientação de Tânia Dinis, a partir dos acervos pessoais e das memórias familiares dos membros da orquestra e da própria artista, que inclui imagens do Brasil nos anos 40. Os conjuntos de fotografias e imagens serão manipulados em tempo real, construindo pequenas narrativas numa viagem fragmentada à memória afectiva de todos os participantes.


Fundada em 2018, a Orquestra de Famílias de Matosinhos integra o Programa Educativo da Orquestra Jazz de Matosinhos. Constituída por 35 famílias, contando no total com cerca de 100 elementos, esta orquestra aberta a todos reúne-se quinzenalmente para levar a cabo um processo criativo conjunto no qual todos os intervenientes contam.

VER PROJECTO
16

Novembro

  ·  

14:30
Docas: Saca do Som com Carina Albuquerque
Programa Educativo | CARA, Matosinhos

Docas: Actividade do Programa Educativo da Orquestra Jazz de Matosinhos que pretende abordar diferentes campos da música das mais variadas formas exploratórias.

Saca do Som com Carina Albuquerque

14h30 - 16h30

Entrada Livre (limite de 20 pessoas)

Inscrições - info@ojm.pt


Conhecer melhor o instrumento que temos nas mãos, olhá-lo a partir de outros ângulos e descobrir novas formas de fazer música através da improvisação, esta é a proposta de mais uma actividade do programa educativo da OJM.


Orientado pela Carina Albuquerque, o workshop Saca do Som integra o programa DOCAS que traz mensalmente ao CARA actividades gratuitas que exploram a música nas suas mais variadas formas. Esta sessão é destinada a instrumentistas de cordas com idades compreendidas entre os 6 e 15 anos. A entrada é livre mas limitada a 20 participantes e as inscrições devem ser feitas para o info@ojm.pt.


Incluído nas actividades do Programa Educativo Orquestra Jazz de Matosinhos este workshop com a violoncelista Carina Albuquerque tem sido premiada em diversos concursos e combina a actividade concertística com a área pedagógica. Integra o Mods Collective, um colectivo que explora a explora a ligação entre música e imagem em movimento (cinema e vídeo), através da música improvisada, realizando várias performances nesse âmbito. Colabora regularmente em gravações de discos de artistas como Carminho, Manel Cruz, Carolina Deslandes, Miguel Ramos, Maria do Céu Camposinhos, SoundMaker, entre outros.

VER PROJECTO
Image
15

Novembro

  ·  

21:30
Jazz para Souto Moura, Casa da Arquitectura
Tanoaria Real Vinícola, Matosinhos


Concerto "Jazz para Souto de Moura"
O concerto "Jazz para Souto de Moura" da Orquestra Jazz de Matosinhos propõe uma viagem pela música do final dos anos 50, época que introduz instrumentos pouco habituais no contexto do jazz, junta músicos com percursos diferentes e funde géneros na procura de novas sonoridades. Um concerto pensado à medida do arquiteto Souto de Moura. Este concerto acontece no âmbito do programa paralelo da exposição "Souto de Moura - Memória, Projectos, Obras" e está integrado nas comemorações do 2º Aniversário da Casa da Arquitectura. Bilhetes disponíveis a partir de dia 13 de novembro na Bilheteira da Casa da Arquitectura. Limitado a dois bilhetes por pessoa e à lotação da sala.Entrada Livre.


Direção musical: Pedro Guedes
Solista: Gileno Santana - Trompete
Madeiras: Olavo Barros, José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro, Pedro Jerónimo
Trompas: Nelson Silva, Pedro Fernandes, Nuno Silva
Trombones: Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Tuba: Gil Gonçalves
Secção Rítmica: José Carlos Barbosa (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)


VER PROJECTO
Image
10

Novembro

  ·  

20:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Maria João
Caixa Forum, Madrid
Maria João: Voz
Direção musical: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), André Fernandes (guitarra), Damien Cabaud (contrabaixo), Marcos Cavaleiro (bateria)


VER PROJECTO
Image
9

Novembro

  ·  

21:30
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz
Fórum Luísa Todi, Setúbal


Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz / Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto
Autoria e narração: Manuel Jorge VelosoDireção musical: Pedro Guedes
De George Russell a Thad Jones, passando por Eddie Sauter, Oliver Nelson, Bob Brookmeyer, Sun Ra, Don Ellis, Maria Schneider e Carla Bley. A segunda parte de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz” debruça-se sobre as big bands e o jazz moderno e há muito para contar. Em palco, a Orquestra Jazz de Matosinhos, conduzida por Pedro Guedes, faz uma revisão do chamado “período de ouro” das big bands nos EUA até aos dias de hoje. Um concerto que vai percorrer a época do jazz moderno e contemporâneo, raramente abordada em retrospectivas do género, através da audição, inédita entre nós, de obras para grande orquestra de jazz.

Depois de uma bem sucedida digressão que percorreu o país em 2018 até meados de 2019, a segunda parte de “Uma Viagem pelos Tempos do Jazz” arranca já no sábado, dia 5 de Outubro no Teatro Municipal de Vila Real, um concerto integrado no Douro Jazz. Seguem-se: dia 10, o Bragança Jazz, no Teatro Municipal de Bragança; dia 17, o Caldas Nice Jazz'19, no Centro Cultural das Caldas da Rainha; dia 26, no Auditório A Moagem do Fundão; e dia 9 de Novembro no Fórum Luísa Todi, Setúbal.

Autoria e narração: Manuel Jorge Veloso

Direção musical: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Filipe Louro (contrabaixo), João Cunha (bateria)
VER PROJECTO
Image
2

Novembro

  ·  

22:00
Orquestra Jazz de Matosinhos & Lluc Casares
Novos Talentos do Jazz | Teatro Municipal Constantino Nery, Matosinhos

Novos Talentos do Jazz
Lluc Casares - saxofone tenor e clarinete

O ciclo da OJM dedicado aos Novos Talentos faz uma primeira incursão no jazz espanhol com o saxofonista Lluc Casares.Desde 2014, foram já dez concertos e dez solistas que raras ou nenhumas vezes tínhamos ouvido no contexto de uma big band, e em todos eles ficou clara a inegável vitalidade do jazz nacional, movida em grande parte por instrumentistas com sólida formação e identidades artísticas pessoais muito fortes. Desta vez, a Orquestra Jazz de Matosinhos traz do país vizinho um saxofonista jovem mas muito experiente, que já passou por festivais importantes como North Sea, Montreux, Marciac e Jazz Middelheim. Lluc Casares estudou na Juilliard School, o que lhe deu a oportunidade de ter aulas com Wynton Marsalis, Kenny Washington, Ben Wolfe, Charles Neidich, Ted Rosenthal e Ron Blake. Hoje em dia ensina nesta prestigiada escola nova-iorquina como membro do Music Advancement Program. Antes já se tinha formado na Escola Superior de Música da Catalunha e no Conservatório de Amesterdão.


A estadia de Lluc Casares em Nova Iorque deu origem a um disco em nome próprio premiado como melhor disco de jazz de 2018 pela revista catalã Enderrock, Sketches Overseas. É desse disco que são retirados dois temas originais do saxofonista, Maferefun e 340 Blues, apresentados neste concerto com novos arranjos para big band criados especialmente para a ocasião pelos músicos da OJM João Guimarães e Xavi Pereiro. Convidado também a interpretar alguns temas do extenso e desafiante repertório da OJM, Lluc Casares escolheu naturalmente composições de Pedro Guedes e Carlos Azevedo que são imagem de marca desta orquestra (“Sargaço” e “Pipiwipi”) e também música assinada por grandes arranjadores norte-americanos que têm sido interpretados pela OJM. São os casos de Thad Jones, George Russell e Jim McNeely – neste caso um arranjo de “Up From The Skies” de Jimmy Hendrix, o tema mais jazzy do célebre guitarrista. Da autoria de um outro guitarrista, Kurt Rosenwinkel, “Zhivago” é um tema que não perde o seu balanço contagiante no arranjo criado por Carlos Azevedo e faz parte também desta selecção. A paixão de Lluc pela música de Duke Ellington e Billy Strayhorn acrescenta ao programa “Isfahan”, balada que pede do saxofone tenor uma profundidade expressiva que o músico catalão já demonstrou estar ao seu alcance. Recorde-se que o Ciclo Novos Talentos do Jazz acontece desde 2014, duas vezes por ano, no Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos.


Repertório

Similau - composição: Arden Clar, Harry Coleman; arranjo: George Russel

Interloper – composição e arranjo: Thad Jones

Sargaço – composição e arranjo: Pedro Guedes

Pipiwipi – composição e arranjo: Carlos Azevedo

Zhivago – composição: Kurt Rosenwinkel; arranjo: Carlos Azevedo

Up From the Skies – composição: Jimmy Hendrix; arranjo: Jim McNeely

Isfahan – composição e arranjo: Duke Ellington, Billy Strayhorn

Maferefun – composição: Lluc Casares, arranjo: João Guimarães

340 Blues - composição: Lluc Casares; arranjo: Javier Pereiro

Back to Babylon – composição e arranjo: Lluc Casares


BILHETES


Convidado: Lluc Casares (saxofone)

Direção: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Álvaro Pinto, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Miguel Moreira (guitarra), José Carlos Barbosa (contrabaixo), Carlos Azevedo (piano), Marcos Cavaleiro (bateria)
VER PROJECTO
Image
26

Outubro

  ·  

22:00
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz
Octógono, Fundão


Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz / Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto
Autoria e narração: Manuel Jorge VelosoDireção musical: Pedro Guedes

De George Russell a Thad Jones, passando por Eddie Sauter, Oliver Nelson, Bob Brookmeyer, Sun Ra, Don Ellis, Maria Schneider e Carla Bley. A segunda parte de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz” debruça-se sobre as big bands e o jazz moderno e há muito para contar. Em palco, a Orquestra Jazz de Matosinhos, conduzida por Pedro Guedes, faz uma revisão do chamado “período de ouro” das big bands nos EUA até aos dias de hoje. Um concerto que vai percorrer a época do jazz moderno e contemporâneo, raramente abordada em retrospectivas do género, através da audição, inédita entre nós, de obras para grande orquestra de jazz.

Depois de uma bem sucedida digressão que percorreu o país em 2018 até meados de 2019, a segunda parte de “Uma Viagem pelos Tempos do Jazz” arranca já no sábado, dia 5 de Outubro no Teatro Municipal de Vila Real, um concerto integrado no Douro Jazz. Seguem-se: dia 10, o Bragança Jazz, no Teatro Municipal de Bragança; dia 17, o Caldas Nice Jazz'19, no Centro Cultural das Caldas da Rainha; dia 26, no Auditório A Moagem do Fundão; e dia 9 de Novembro no Fórum Luísa Todi, Setúbal.

Autoria e narração: Manuel Jorge Veloso

Direção musical: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Filipe Louro (contrabaixo), João Cunha (bateria)
VER PROJECTO
Image
19

Outubro

  ·  

14:30
Docas: Circle Singing com Manuel Linhares
Programa Educativo | CARA, Matosinhos

Docas: Actividade Programa Educativo da Orquestra Jazz de Matosinhos que pretende abordar diferentes campos da música das mais variadas formas exploratórias.

Circle Singing com Manuel Linhares

14h30 - 16h30

Entrada Livre (limite de 40 pessoas)

Inscrições - info@ojm.pt


O Circle Singing faz da voz um lugar comum, uma praça aberta onde nos encontramos e reencontramos. Através de exercícios vocais realizados em círculo, a música constrói-se num verdadeiro sentido de comunidade, onde cada um é uma peça fundamental.


Destinado ao público geral (a partir dos 12 anos), este workshop servirá para criar música nova e irrepetível. Para participar não tem de ter conhecimento teórico de música, basta que goste de usar a voz. A participação é gratuita mas limitado a 40 pessoas. As inscrições devem ser feitas para info@ojm.pt.


Incluído nas actividades do Programa Educativo Orquestra Jazz de Matosinhos, este workshop de Circle Singing é orientado por Manuel Linhares, cantor de jazz português que se tem dedicado à performance, à composição e ao ensino. Estudou jazz no Porto, Barcelona e Berlim, trabalhando com grandes nomes nacionais e internacionais. Este ano, lançou o segundo disco de originais, "Boundaries", solidificando o seu lugar no panorama do jazz português. Depois de três anos a frequentar os workshops de CircleSongs orientados por Bobby McFerrin, foi convidado para trabalhar com o músico como assistente. Criou "O Círculo da Voz", um laboratório de improvisação e criatividade vocal.

VER PROJECTO
Image
17

Outubro

  ·  

21:30
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz
Centro Cultural e de Congressos, Caldas da Rainha


Caldas Nice Jazz'19
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz / Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto

Autoria e narração: Manuel Jorge Veloso
Direção musical: Pedro Guedes

De George Russell a Thad Jones, passando por Eddie Sauter, Oliver Nelson, Bob Brookmeyer, Sun Ra, Don Ellis, Maria Schneider e Carla Bley. A segunda parte de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz” debruça-se sobre as big bands e o jazz moderno e há muito para contar. Em palco, a Orquestra Jazz de Matosinhos, conduzida por Pedro Guedes, faz uma revisão do chamado “período de ouro” das big bands nos EUA até aos dias de hoje. Um concerto que vai percorrer a época do jazz moderno e contemporâneo, raramente abordada em retrospectivas do género, através da audição, inédita entre nós, de obras para grande orquestra de jazz.

Depois de uma bem sucedida digressão que percorreu o país em 2018 até meados de 2019, a segunda parte de “Uma Viagem pelos Tempos do Jazz” arranca já no sábado, dia 5 de Outubro no Teatro Municipal de Vila Real, um concerto integrado no Douro Jazz. Seguem-se: dia 10, o Bragança Jazz, no Teatro Municipal de Bragança; dia 17, o Caldas Nice Jazz'19, no Centro Cultural das Caldas da Rainha; dia 26, no Auditório A Moagem do Fundão; e dia 9 de Novembro no Fórum Luísa Todi, Setúbal.

Autoria e narração: Manuel Jorge Veloso

Direção musical: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Filipe Louro (contrabaixo), João Cunha (bateria)
VER PROJECTO
Image
12

Outubro

  ·  

21:30
O Couraçado Potemkin - Serguei Eisenstein
Filme-Concerto | Casa das Artes, Famalicão

Abertura da quarta edição do CLOSE-UP.
Estreia de uma nova banda-sonora para o filme “O Couraçado Potemkin” de Serguei Eisenstein. (Rússia, ficção, 1925, 70 min)


É um dos melhores filmes de todos os tempos, um dos mais conhecidos da história do cinema e apresenta uma das mais célebres sequências da sétima arte. Para Charlie Chaplin, era mesmo o seu favorito. Realizado por Sergei Eisenstein, "O Couraçado Potemkin” é um filme mudo soviético que estreou em 1925 e apresenta uma versão dramatizada da rebelião ocorrida em 1905, onde os tripulantes do navio de guerra Bronenosets Potyomkin/O Couraçado Potemkin se revoltaram contra seus oficiais superiores. Controverso aquando da estreia nos anos 50, "O Couraçado Potemkin” foi considerado subversivo no Reino Unido. Na Alemanha, mereceu a censura das autoridades nazis e teve uma circulação limitada nos Estados Unidos. Inspirado nos acontecimentos reais de 1905, o filme divide-se em cinco episódios, três dos quais passados a bordo do navio e coincidentes com a memória histórica da revolta.

Razões mais que suficientes para este ser um grande desafio para os músicos João Guimarães, João Pedro Brandão, Paulo Perfeito, Pedro Guedes e Telmo Marques, autores da banda-sonora original que será interpretada pela Orquestra Jazz de Matosinhos, em estreia mundial, dia 12 de Outubro, na Casa das Artes, no âmbito da IV edição do Close-Up - Observatório de Cinema de Famalicão. Os bilhetes para a estreia do filme-concerto custam 6€ e estão à venda na Casa das Artes de Famalicão e online.

Formação
Direção: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Paulo Perfeito, Andreia Perfeito, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Miguel Moreira (guitarra), Filipe Teixeira (contrabaixo), Hugo Raro (piano), António Torres Pinto (bateria)


FB EVENTO

BILHETES

Image
10

Outubro

  ·  

21:30
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz
Teatro Municipal, Bragança

Bragança Jazz 2019
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz / Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto
Autoria e narração: Manuel Jorge VelosoDireção musical: Pedro Guedes

De George Russell a Thad Jones, passando por Eddie Sauter, Oliver Nelson, Bob Brookmeyer, Sun Ra, Don Ellis, Maria Schneider e Carla Bley. A segunda parte de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz” debruça-se sobre as big bands e o jazz moderno e há muito para contar. Em palco, a Orquestra Jazz de Matosinhos, conduzida por Pedro Guedes, faz uma revisão do chamado “período de ouro” das big bands nos EUA até aos dias de hoje. Um concerto que vai percorrer a época do jazz moderno e contemporâneo, raramente abordada em retrospectivas do género, através da audição, inédita entre nós, de obras para grande orquestra de jazz.

Depois de uma bem sucedida digressão que percorreu o país em 2018 até meados de 2019, a segunda parte de “Uma Viagem pelos Tempos do Jazz” arranca já no sábado, dia 5 de Outubro no Teatro Municipal de Vila Real, um concerto integrado no Douro Jazz. Seguem-se: dia 10, o Bragança Jazz, no Teatro Municipal de Bragança; dia 17, o Caldas Nice Jazz'19, no Centro Cultural das Caldas da Rainha; dia 26, no Auditório A Moagem do Fundão; e dia 9 de Novembro no Fórum Luísa Todi, Setúbal.

Autoria e narração: Manuel Jorge Veloso

Direção musical: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Filipe Louro (contrabaixo), João Cunha (bateria)
VER PROJECTO
Image
5

Outubro

  ·  

21:30
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz
Teatro Municipal, Vila Real

Bragança Jazz 2019
Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz / Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto
Autoria e narração: Manuel Jorge VelosoDireção musical: Pedro Guedes


De George Russell a Thad Jones, passando por Eddie Sauter, Oliver Nelson, Bob Brookmeyer, Sun Ra, Don Ellis, Maria Schneider e Carla Bley. A segunda parte de “Uma Viagem Pelos Tempos do Jazz” debruça-se sobre as big bands e o jazz moderno e há muito para contar. Em palco, a Orquestra Jazz de Matosinhos, conduzida por Pedro Guedes, faz uma revisão do chamado “período de ouro” das big bands nos EUA até aos dias de hoje. Um concerto que vai percorrer a época do jazz moderno e contemporâneo, raramente abordada em retrospectivas do género, através da audição, inédita entre nós, de obras para grande orquestra de jazz.


Depois de uma bem sucedida digressão que percorreu o país em 2018 até meados de 2019, a segunda parte de “Uma Viagem pelos Tempos do Jazz” arranca já no sábado, dia 5 de Outubro no Teatro Municipal de Vila Real, um concerto integrado no Douro Jazz. Seguem-se: dia 10, o Bragança Jazz, no Teatro Municipal de Bragança; dia 17, o Caldas Nice Jazz'19, no Centro Cultural das Caldas da Rainha; dia 26, no Auditório A Moagem do Fundão; e dia 9 de Novembro no Fórum Luísa Todi, Setúbal.

Autoria e narração: Manuel Jorge Veloso

Direção musical: Pedro Guedes
Madeiras: José Luís Rego, João Pedro Brandão, Mário Santos, José Pedro Coelho, Rui Teixeira
Trompetes: Luís Macedo, Ricardo Formoso, Rogério Ribeiro, Javier Pereiro
Trombones: Daniel Dias, Álvaro Pinto, Andreia Santos, Gonçalo Dias
Secção Rítmica: Carlos Azevedo (piano), Eurico Costa (guitarra), Filipe Louro (contrabaixo), João Cunha (bateria)


VER PROJECTO
Image
22

Setembro

  ·  

18:30
Parada MEXE
Programa Educativo | Escola Secundária Alexandre Herculano, Porto

O MEXE - Encontro Internacional de Arte e Comunidade, no dia 22 de setembro às 18h30, apresenta a:


"Parada MEXE" / Às 19h, no Jardim São Lázaro - MEXE PRAÇA, será apresentado o "Concerto e Baile Comunitário" com os grupos participantes na Parada.


Uma Parada é uma celebração. Só celebramos porque somos vários, diversos e sentimos um impulso de encontrar o outro. Numa Parada somos convocados a ocupar o espaço público transformando-o e deixando também que este nos transforme enquanto indivíduos e coletivo. O MEXE - Encontro Internacional de Arte e Comunidade encerra a sua 5ª edição com uma Parada que envolve todos os participantes do festival e outros coletivos musicais da cidade, provocando os nossos corpos a criarem em comum um fluxo rítmico. Juntando corpo, música, rua, política, democracia, cidade e vida, somos convidamos, todos sem exceção, a dar corpo a este ato generoso, estético e democrático que terminará no Jardim de São Lázaro num concerto inédito.


DIREÇÃO ARTÍSTICA António Sérginho

PARTICIPAÇÃO Associação Recreativa “Os Mareantes do Rio Douro”; Coro Lira; Coro Sénior da Fundação Manuel António da Mota; OUPA Cerco; FRENESIM a Vozes; PELE; Orquestra Comunitária de Lordelo do Ouro; Orquestra de Famílias de Matosinhos

COPRODUÇÃO Câmara Municipal do Porto


ENTRADA LIVRE!

DURAÇÃO APROX. 120min


O MEXE - Encontro Internacional de Arte e Comunidade é co-organizado pela PELE e a Associação Cultural MEXE e co-financiado pela República Portuguesa/Direção-Geral das Artes.

2021
2020
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006
2005
2004
2003
2002
2001
2000
1999
1998